Vereadores constatam lagoas de chorume vazias e Comissão discutirá viabilidade do aterro municipal

18/04/2017 - Losila, Bastazini, Bussola, Carlão, Markinho, Sardin e Brum foram recebidos pelo diretor de Limpeza Pública, Eduardo Borgo, e pelo vice-prefeito Toninho Gimenez

Brum, Bussola, Sardin, Losila, Carlão, Borgo e Bastazini

Um grupo de vereadores visitou, na manhã desta terça-feira (18/04), o aterro sanitário da Prefeitura de Bauru. O objetivo era constatar a informação, levada a público pelo presidente da Câmara Municipal, Sandro Bussola (PDT), durante a última sessão legislativa, de que duas das três lagoas de chorume existentes no local estavam vazias.

No início do ano, a administração chegou a ser notificada pela Cetesb sobre o risco de transbordamento desses reservatórios, que acumulam o líquido gerado pelo lixo depositado no aterro ao longo dos anos.

A dificuldade em controlar o volume de chorume, contudo, é histórica. Tanto é que, na gestão anterior, foi necessária a construção da terceira lagoa e até a locação emergencial de tanques de armazenamento.

Aos vereadores que participaram da agenda no aterro sanitário, o diretor de Limpeza Pública da Emdurb, Eduardo Borgo, explicou que, após a formalização do contrato com a empresa que retira e providencia a destinação adequada (a uma Estação de Tratamento de Esgoto) deste material, todos os dias, estão sendo recolhidos 96 cúbicos do líquido.

Segundo Borgo, na administração anterior, o volume retirado da lagoa era consideravelmente inferior, o que explicaria o esvaziamento das duas lagoas, ação recomenda pela Cetesb.

O diretor da Emdurb pontuou ainda que, controlando o nível de chorume do terceiro reservatório (hoje com pouco mais de 2 mil metros cúbicos ocupados), os outros dois serão ocupados, a partir de agora, apenas por água de chuva, que pode ser retirada e destinada ao maciço do aterro, sem custos para a administração pública.

Lixo e Audiência Pública

Participara da visita os vereadores Mané Losila (PDT) e Luiz Carlos Bastazini (PV), presidente e membro da Comissão de Obras e Serviços Públicos, o presidente da Câmara, Sandro Bussola, além dos parlamentares Francisco Carlos de Goes -  Carlão do Gás (PMDB), Markinho Souza (PP), Miltinho Sardin (PTB) e Serginho Brum (PSD). O vice-prefeito Toninho Gimenez (PTB) também esteve no local.

Ao observar os avanços na gestão da lagoa de chorume, os membros do Legislativo de Bauru levantaram questionamentos acerca da viabilidade de retomada da operação do aterro sanitário.

O local deixou de receber o lixo doméstico gerado na cidade em maio do ano passado. Já na época, porém, a administração apontava que o aterro público apresentava condições de receber mais resíduos.

Atualmente, o lixo é levado a um aterro privado, no município de Piratininga (SP), contrato que onera ainda mais os cofres públicos.

O presidente da Comissão de Obras, Mané Losila, sugeriu ainda que o Poder Executivo apresente, novamente, à Cetesb, proposta de ampliação lateral do aterro.

Aos parlamentares, Borgo explicou que o papel da Emdurb se restringe à prestação de serviços e que a definição de políticas públicas para o setor é de responsabilidade da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma).

Dessa forma, a Comissão de Obras e Serviços Públicos deve convocar audiência pública para discutir o assunto.

 

VINICIUS LOUSADA

Assessoria de Imprensa