Vereadores estudam com Executivo a implantação do cartão-alimentação

- Assessoria de Imprensa

Proposta busca combate à pobreza extrema em meio à pandemia do novo coronavírus no município com os recursos do Legislativo

Em reunião realizada no final da tarde desta sexta-feira (16/4), na Prefeitura Municipal de Bauru, com a chefe do Executivo, Suéllen Rosim, os parlamentares discutiram alternativas para atender famílias em situação de vulnerabilidade social.

Estiveram presentes o presidente da Câmara, Markinho Souza (PSDB); o primeiro secretário, Pastor Bira (Podemos), o segundo secretário, Pastor Edson Miguel (Republicanos), e a vereadora Chiara Ranieri (DEM), presidente da Comissão de Educação e Assistência Social.

Também participaram da reunião o consultor administrativo-financeiro da Câmara Municipal, Alexandre Previero; o secretário municipal de Economia e Finanças, Everton Basílio, e o chefe de gabinete da Prefeitura de Bauru, Patric Teixeira.

Markinho Souza comentou a proposta de implantação do cartão-alimentação apresentada em Audiência Pública, no dia 6 de abril, promovida pela Comissão de Educação e Assistência Social. Na ocasião, foi apresentado o Programa Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional - NutrirCampinas, implantado pela Prefeitura de Campinas, em 2016, em substituição à tradicional entrega de cestas básicas.

O presidente da Casa de Leis defende o uso de um programa de transferência de renda com foco na alimentação, que viria para socorrer as famílias em situação de vulnerabilidade, agravada pela pandemia do novo coronavírus.

A Mesa Diretora da Câmara colocou à disposição parte dos recursos orçamentários do Legislativo, para que o montante seja destinado à viabilização do cartão-alimentação pela Secretaria do Bem Estar Social (Sebes). O valor ainda precisa ser definido em conjunto com o Executivo.

A proposta também será discutida com a Sebes, para levantar os quantitativos dos dados relativos às pessoas em situação de extrema pobreza no município e o valor mensal que deverá ser creditado no cartão para cada família. O cartão complementaria o trabalho que já é feito pela Secretaria do Bem-Estar Social e pelo Fundo Social de Solidariedade de Bauru.