Vereadores criticam demora em consertos e reformas de escolas na Sessão Ordinária

- Assessoria de Imprensa

Todos os processos que constavam na pauta foram aprovados pelo legislativo nesta tarde

O tema mais comentado no uso da tribuna livre pelos vereadores na sessão desta segunda-feira (09) foi a demora em consertos, manutenção e reforma de escolas da rede pública municipal.

Diversos parlamentares abordaram o tema, sobretudo em reação a ofício encaminhado pela secretária de Educação, Isabel Miziara.

O vereador Natalino Davi da Silva (PV) disse no uso da tribuna livre que a ausência de documentos gera enormes dificuldades para o andamento da CEI da Cohab. Ele disse que os membros vão se reunir para decidir se suspendem os trabalhos até a chegada de todas as informações.

Natalino também pediu agilidade na retomada das obras do PAC Asfalto, citando o Parque Santa Edwirges.

Ricardo Cabelo (Cidadania) criticou a demora nas obras de reforma na área de educação. “Agradeço a secretária de Educação ter informado que iniciou reformas, mas demorar três anos para iniciar a reformar uma escola é muito tempo”, disse.

Manoel Losila (PDT) acrescentou, no microfone de aparte, que a situação é a mesma na Vila Giunta, onde a reforma de uma EMEI espera desde o início do atual governo.

O vereador Sérgio Brum (PSD) divulgou melhorias nas imediações da EMEI Vila Tecnológica pela Emdurb. Brum mostrou matéria da TV Câmara informando as ações no local. Outra matéria da TV mostrada por Brum foi sobre a identificação de ruas, com placas, e instalação de lâmpadas e extensão de rede no bairro.

Telma Gobbi (Solidariedade) falou do Dia da Mulher, 8 de março, e destacou que defende a união feminina para alcançar a paridade com os homens. Ela também voltou citar que falta cronograma com planejamento de ações, exemplificando o fechamento do Pronto Atendimento Infantil (PAI) por longo período para “consertos”.

Yasmin Nascimento (PSC) também felicitou as mulheres em Bauru, com destaque para o engajamento.

Sandro Bussola (PDT) criticou o deslocamento de crianças para escolas que aguardam consertos. Ele mostrou vídeo com depoimento de mães. Em uma unidade, reclamaram de apenas um banheiro para uso em unidades.

Benedito Meira (PSB) apontou que bastou a atual gestão da Cohab revisar a renegociação da dívida da Cohab para que o valor apresentado pelo ex-presidente Édison Gasparini Júnior, de R$ 430 milhões, caísse para R$ 289 milhões. Isso mostra que bastou refazer contas para a dívida já cair R$ 154 milhões.

Meira cobrou também que o atual presidente da Cohab, Arildo Lima Jr., peça o bloqueio de bens e noticiou que a esposa de Gasparini, Isabel Gasparini, está vendendo 3 lotes no Condomínio Lago Sul, a preço de R$ 350 mil cada um. Ele alerta contra a dilapidação de patrimônio e defende que a companhia se antecipe pra preservar garantia de recuperação de desfalque.

Chiara Ranieri (Democratas) reforçou a crítica para atrasos nas ações de recuperação e reforma das escolas. A prioridade apontada em audiência pública não foi levada em conta, opina a parlamentar.

A vereadora também apontou a audiência pública que discutiu os poucos recursos pra apoio ao esporte, com apenas R$ 700 mil por ano para o Fundo Municipal do Esporte.

Já Francisco Carlos de Góes (MDB) apontou preocupação com roubos na zona rural, diante da extensão no município. Ele destacou em especial Barra Grande. Tibiriçá e Rio Verde e anunciou pedido de audiência pública para discutir o tema.

José Roberto Martins Segalla (Democratas) informou que fiscalização através de entidade credenciada (CREA) vai abordar 440 empresas que atuam na cidade. O presidente da Casa abordou também direitos em relação à mulher.

Edvaldo Minhano (Cidadania) disse que vistoriou alguns veículos e, ao acompanhar o trajeto até o aterro de Piratininga, tratam-se de placas de veículos com identificação de serem roubados.

Fábio Manfrinato (PP) abordou a audiência pública de esportes e a dificuldade de financiamento do setor.

Markinho de Souza (PP) fez uma retrospectiva de todos os depoimentos realizados até aqui pela CEI Cohab e pedido de informações enviados à companhia.

Milton Sardin (PTB) disse que já avisou a moradores do Águas Virtuosas de que a promessa de regularização de infraestrutura no local não vai acontecer. Ele reclamou que moradores ficam sem resposta para este e outros problemas pendentes.

"Open Bar"

Votado em primeira discussão, o projeto de lei que proíbe a realização de festas "open bar" no município foi aprovado. (Processo 142/19)

O texto do projeto, de autoria do vereador Coronel Meira, não estende a proibição para almoços, jantares ou eventos que sirvam aperitivos, disponibilizando alimentação em quantidade que permita o consumo compatível ao de bebida alcoólica; eventos fechados, como formaturas, aniversários e casamentos; e eventos beneficentes, com toda a arrecadação revertida a instituições.

Os demais processos da pauta eram sobre denominação de vias públicas e também foram aprovados.