Tibiriçá: Audiência Pública discute atuação do poder público no distrito municipal

- Assessoria de Imprensa

Encontro ocorreu em ambiente virtual e contou com a presença das secretarias municipais, da Polícia Militar e de moradores da localidade

A Câmara Municipal promoveu nesta terça-feira (30/3), uma Audiência Pública com diversas secretarias municipais para debater as demandas do Distrito de Tibiriçá no que diz respeito à segurança pública, saúde, assistência social, educação, coleta de lixo, esporte, lazer, infraestrutura e cultura.

Participaram da reunião o secretário de Saúde, Orlando Costa Dias; as diretoras da Secretaria Municipal de Saúde, Carolina Carrer e Lucila Bacci; a secretária de Educação, Maria do Carmo Kobayashi; o secretário de Administrações Regionais, Jorge Souza; o secretário de Esportes e Lazer, Flávio Oliveira; a secretária de Cultura, Tatiana Sá; o secretário de Obras, Marcos Saraiva; o secretário de Agricultura e Abastecimento, Jorge Abranches; o secretário de Planejamento, Nilson Ghirardello; o secretário do Meio Ambiente, Dorival Coral; a secretária do Bem-Estar Social, Ana Salles; a presidente do Fundo Social de Solidariedade de Bauru, Lúcia Rosim; o subprefeito do Distrito de Tibiriçá, Antônio Marcos Munhoz; o presidente da Emdurb, Luiz Carlos Valle; a presidente do DAE, Flávia Souza, e o capitão da Polícia Militar, Juliano Xavier.

A audiência realizada por videoconferência foi uma iniciativa do vereador Pastor Bira (Podemos). Também participaram os vereadores Chiara Ranieri (DEM), Pastor Edson Miguel (Republicanos) e Julio Cesar (PP).

Secretarias Municipais

Secretária Municipal de Educação, Maria do Carmo Kobayashi explicou que Tibiriçá conta com duas escolas, sendo uma delas de educação infantil, que é uma Organização da Sociedade Civil conveniada via termo de colaboração com a secretaria. A unidade atende 130 crianças.

Ana Salles, secretária do Bem-Estar Social, destacou o papel do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do distrito. A gestora informou que, no momento, 100 crianças são atendidas no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, que funciona no prédio da escola de educação infantil, em período inverso ao da educação regular.

Em Tibiriçá, a pasta ainda mantém o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos com Idosos e um Programa de Apoio Social que atende 50 pessoas. Dos 564 residentes no distrito, e vinculados ao Cadastro Único, 180 estão na zona de extrema pobreza.

Ana explicou que as discussões em conjunto com a comunidade revelaram a necessidade de um programa de estímulo ao primeiro emprego e também o desenvolvimento de um Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos voltado para os jovens e adolescentes.

Lúcia Rosim, presidente do Fundo Social de Solidariedade de Bauru, disse que o órgão está fazendo o possível para ajudar a população do distrito, enviando para a localidade parte das cestas básicas arrecadadas. Lúcia disse que a população carente deve entrar em contato com o Fundo, a fim de agilizar o socorro quando necessário.

Orlando Costa Dias, vice-prefeito e secretário de Saúde, anunciou a intenção do Executivo de construir um novo prédio para o Posto de Saúde de Tibiriçá. O antigo imóvel apresentou diversos problemas, levando a unidade a se estabelecer provisoriamente no Centro Rural do distrito. De acordo com o secretário, a nova unidade tem custo estimado de R$ 957 mil.

Respondendo aos questionamentos de moradores, disse ser complicado deixar uma ambulância com motorista no distrito, já que a demanda é pequena e o SAMU atende a região.

Secretário de Meio Ambiente, Dorival Coral destacou o fato de que o distrito de Tibiriçá está localizado na Área de Proteção Ambiental (APA) “Água Parada”. Um dos planos da pasta é desenvolver um projeto de rearborização do distrito.

Marcos Saraiva, da Secretaria de Obras, explicou que a maior atuação da secretaria em Tibiriçá é no serviço de recapeamento asfáltico.

Secretário de Esportes e Lazer, Flávio Oliveira pontuou a infraestrutura destinada ao esporte presente em Tibiriçá. O gestor disse que a pasta fez, neste mês, a manutenção de dois playgrounds e a retirada de três aparelhos da academia ao ar livre que estavam danificados.

A Secretaria planeja estabelecer programas de desenvolvimento de atividades esportivas, orientar a população quanto ao uso correto da academia ao ar livre e levar até a localidade os programas de experimentação esportiva e a identificação de talentos.

Tatiana Sá, da Cultura, disse que a secretaria está estudando um imóvel para instalar a biblioteca do distrito, que foi desmontada após o antigo prédio apresentar problemas de infraestrutura. Tatiana destacou o potencial do espaço da Estação Ferroviária de Tibiriçá como instrumento cultural, se comprometendo a construir editais e chamamentos públicos que contemplem o distrito.

Nesse sentido, Nilson Ghirardello, da Secretaria de Planejamento, sugeriu o desenvolvimento de atividades culturais que promovam o fortalecimento econômico da região, com foco na produção de renda no próprio distrito.

Emdurb e DAE
Luiz Carlos Valle, presidente da Emdurb, respondeu o questionamento de um morador sobre o Centro Velatório de Tibiriçá. Marcos Almeida questionou o gestor sobre o impedimento de uso do centro, caso o munícipe pague um plano funerário.

Valle disse que o impedimento já foi derrubado através de um decreto e que, em caso de carência, as taxas de sepultamento podem ser subsidiadas em um serviço social custeado pela SEBES.

Flávia Souza, presidente do DAE, informou que a autarquia fez uma medição de pressão na malha de abastecimento de Tibiriçá, onde foram localizados três pontos com pressão abaixo do normal, na parte alta do distrito.

Flávia disse que, no momento, o departamento não tem nenhuma chamada de falta d'água na Central de Atendimento do DAE. A presidente disse que é importante que a população acione o serviço quando o problema acontecer, já que esses chamados auxiliam o departamento nos planejamentos. De acordo com Flávia, em 2012, a autarquia recebeu 42 solicitações de reparos e vazamentos.

Polícia Militar

Representando o 4º Batalhão de Polícia Militar do Interior (4º BPM-I), capitão Juliano Xavier informou que a retirada do agente residente no distrito se deu porque o imóvel onde o policial residia não estava em boas condições.

De acordo com o capitão, a corporação está buscando, em conjunto com o subprefeito Antônio Marcos Munhoz, um imóvel para acomodar uma nova base distrital.

Xavier explicou que a corporação não tem capacidade de manter dois policiais no distrito devido ao baixo volume de ocorrências e que a maior parte é relacionada à perturbação do sossego.

Todos os participantes da reunião mostraram-se afetados pelas restrições impostas pela pandemia, dizendo estarem abertos a receber as demandas da população via seus canais de comunicação.

Assista à íntegra.