Sandro Bussola cobra respostas a moradores de ruas excluídas do PAC Pavimentação

03/12/2018 - De acordo com o parlamentar, administração havia se comprometido a levar o asfalto ao Sandro Edwirges e ao parque Giansante até o fim deste ano

Bussola: "Estamos cobrando que o Executivo vá às comunidades"

  O vereador Sandro Bussola (PDT) cobrou do governo municipal esclarecimentos a moradores de ruas do Santa Edwirges e do Parque Giansante que ficaram de fora do cronograma de obras do PAC Pavimentação, a respeito do compromisso da atual gestão do Poder Executivo em garantir o asfalto na porta dessas pessoas até o fim desse ano.

  O parlamentar pontuou que, em reuniões nesses bairros, a administração informou que, por meio de sobras dos contratos do PAC ou com recursos próprios, a infraestrutura chegaria a essas quadras, excluídas em razão de erros em projetos, até o Natal.

  “Estamos cobrando que o Executivo vá às comunidades com respostas. Se não, teremos um Natal com manifestações”, advertiu na Sessão Legislativa desta segunda-feira (03/12).

  Bussola lembrou ainda que, no governo anterior, ao aprovar a contratação do financiamento para o PAC junto à União, à Câmara foi apresentada a ideia de que todas as quadras habitadas de Bauru seriam asfaltadas - o que não se concretizou.

Informatização

  Na Tribuna, o vereador também cobrou a informatização da Secretaria de Saúde, ao exibir imagens do local onde precariamente estão armazenados os arquivos de prontuários em uma unidade municipal.

  Dessa forma, quando um paciente precisa ser atendimento no Pronto-Socorro, por exemplo, os profissionais não têm acesso a seu histórico de patologias e atendimentos.

  O mesmo vale para gestantes que fazem o pré-natal nas unidades básicas e dão à luz na Maternidade Santa Isabel, de gestão estadual.

  Sandro Bussola lembrou ainda que a falta de sistemas de controle levou ao aumento de gastos com medicamentos, a despeito do agravamento da falta de remédios.

  O parlamentar ponderou que, quando do início das discussões em torno da informatização, as providências necessárias custavam mais caro; realidade não mais verificada em decorrência dos avanços tecnológicas, sem contar a possibilidade de parceria com instituições de ensino superior, onde estudantes estão capacitadas a desenvolver softwares que resolvam as demandas do município.

Assista à íntegra do pronunciamento

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA

Câmara Municipal de Bauru