Migrante italiana, 'dona Estela' recebe a Medalha 'Sebastião Paiva'

- Vinicius Lousada

Mané Losila propôs a honraria; homenageada chegou a Bauru em 1924, após fugir com a família das tragédias decorrentes da Primeira Guerra Mundial

Nascida em 5 de dezembro de 1918, na cidade Verona, a italiana Isdea Ortolani Rosalin recebeu do vereador Mané Losila (PDT) a Mesalha “Sebastião Paiva”.

A honraria é conferida pela Câmara Municipal a pessoas com 90 anos ou mais, que residam em Bauru há pelo menos três décadas.

Pela vizinhança daqui, ela ficou conhecida como dona Estela. Veio para o Brasil com os pais, Angelo Ortolani e Maria Faccini, fugindo das tragédias do final da Primeira Guerra Mundial.

Chegou em Bauru no dia de Natal de 1924, aos seus pais, após 44 dias de viagem no navio Vapor Nazario Sauro – informações que constam no passaporte original da mãe, ainda guardado pela homenageada, e nos registros do Livro de número 97 da Hospedaria dos Imigrantes de São Paulo.

Sempre morou na Vila Nipônica, próximo à avenida Castelo Branco, na Rua Shimpei Okiama.

Seu marido, Guerino Rosalin, possuía um bar ao lado da casa onde viviam e ainda trabalhava como autônomo vendendo frutas em um furgão. Dessa forma, criaram e sustentaram seus 4 filhos: Guilherme, Jurandir, Maria e Dirce - esta já falecida.

Hoje tem 11 netos, 19 bisnetos e 5 tataranetos. Sempre trabalhou em casa, cuidando da família.

Dona Estela gosta muito de animais e chegou a ter 50 gatos!

Também sempre teve muitas amigas na “Nipônica, como Dona Maria e Dona Julia, que semanalmente a visitam para “prosear”.

“É uma mulher batalhadora, uma migrante, que, aos 101 anos de idade, continua ao nosso lado, e ainda muito lúcida, contando histórias de sua terra natal”, destaca Mané Losila.