Guilherme Berriel sugere alternativas para o DAE

- Vinicius Lousada

Até o dia 14 de outubro, ele fará parte das comissões de Justiça e de Meio Ambiente e Saúde da Câmara de Bauru

Vereador em exercício, Guilherme Berriel (DEM) foi indicado, na Sessão Ordinária desta segunda-feira (30/09), para assumir vagas nas comissões de Justiça, Legislação e Redação e de Meio Ambiente, Higiene, Saúde e Previdência da Câmara Municipal de Bauru.

Primeiro suplente pelo Democratas nas eleições de 2016, ele foi empossado no cargo de parlamentar na semana passada, em razão da licença não remunerada de José Roberto Segalla (DEM).

Ainda em função do afastamento temporário, o vice-presidente da Mesa Diretora, Coronel Meira (PSB), assumiu interinamente a condução do Poder Legislativo de Bauru.

Na condição de presidente, ele fica impedido de fazer parte das comissões permanentes da Câmara, o que gerou a oportunidade de que Berriel integrasse os colegiados parlamentares.

Segalla retorna ao mandato no dia 14 de outubro – data em que Coronel Meira também reassume os postos nas comissões de Justiça e de Meio Ambiente e Saúde.

Na Tribuna

Em sua estreia na Tribuna da Câmara de Bauru, Guilherme Berriel fez uma série de considerações sobre o DAE e o sistema de produção, tratamento e distribuição de água.

O parlamentar defendeu que o a autarquia deixe de captar água do Rio Batalha. “Quem conheceu 30 anos atrás e vê hoje sabe que o rio está morrendo”, alertou.

Engenheiro, Berriel disse ainda que o tratamento de águas superficiais custa mais caro.

Como alternativa, ele defende que, para cada reservatório, haja, ao lado, um poço para captação subterrânea. “Defendo a produção descentralizada”.

De acordo com o vereador, sem a necessidade de bombear a água para reservatórios distantes, o DAE também reduziria gastos com energia. Anualmente, esse tipo de despesa consome R$ 25 milhões do orçamento do departamento.

Nesse sentido, Guilherme Berriel criticou o fato de não haver, na autarquia, estudos sobre aproveitamento energético, nem mesmo a respeito de compra de energia no mercado livre – estratégia adotada há anos por grandes empresas.

O parlamentar falou ainda sobre a necessidade de investimentos em tecnologia para que o DAE consiga monitorar, em tempo real, todos os pontos de produção de água.

Filiado ao DEM, ele também agradeceu o professor Dudu Ranieri (em memória), que presidia o partido e foi o responsável por seu ingresso na política. “Se não fosse ele, não teria entrado”.

Assista à íntegra do pronunciamento