Funprev apresenta à Câmara resultados positivos da carteira de investimentos em 2016

11/04/2017 - Chama a atenção, porém, que mais de 900 servidores municipais já podem ou poderão se aposentar nos próximos 5 anos, cerca de 15% do quadro de funcionários

Vereador Coronel Meira e o técnico-atuário Luiz Cláudio Kogut

A Funrpev-Bauru apresentou, nesta terça-feira (11/04), no Plenário da Câmara Municipal, os resultados da sua carteira de investimentos em 2016 e os dados atualizados do Cálculo Atuarial.

Acompanharam as explanações os vereadores Coronel Meira (PSB), Luiz Carlos Bastazini (PP), Mané Losila (PDT) e Roger Barude (PPS).

A carteira de investimentos da Funprev terminou acumulou, até dezembro do ano passado, R$ 493,6 milhões, dos quais R$ 74,8 milhões foram obtidos em rendimentos de aplicações, segundo Diogo Nunes Pereira, economista da entidade.

Este é o dinheiro que garantirá o pagamento de aposentadorias, pensões e outros benefícios ao funcionalismo da Prefeitura, do DAE, da Câmara Municipal e da própria fundação de previdência.

O resultado representou ganhos de 17,53%, índice superior à meta atuarial, estabelecida em 12,64% para 2016.

A partir do cruzamento desses dados com as projeções futuras, o cálculo atuarial apontou resultado positivo em R$ 6,18 milhões.

Em 2010, esse balanço foi negativo em R$ 539 milhões. O déficit, porém, foi corrigido com a aprovação de lei que fixou valores extras (aportes) a serem repassados pela Prefeitura de Bauru até 2046, a fim de garantir o equilíbrio do sistema.

Aposentadoria próxima

O atuário Luiz Cláudio Kogut expôs ainda outros dados que chamaram a atenção dos parlamentares. Um deles é de que 984 servidores da ativa já têm ou terão direito a se aposentar nos próximos cinco anos. O grupo equivale a 15% dos 6.604 funcionários ativos de hoje.

Salto

Também chamou a atenção o crescimento dos inativos e do custo da folha de pagamento da Funprev com aposentados e pensionistas.

Entre 2010 e 2016, o número de inativos saltou de 2.114 para 3.015. O desembolso de recursos da entidade, de R$ 3,8 milhões para R$ 10,4 milhões.

O quadro de ativos também cresceu no mesmo período: de 6.047 para 6.604. A folha de pagamento, de R$ 12 milhões para R$ 22,9 milhões.

 

   O economista Diogo Nunes durante explanação no Plenário da Câmara Municipal

 

VINICIUS LOUSADA

Assessoria de Imprensa