Estela Almagro entrega Moção de Aplauso ao ambulatório de assistência à Saúde de travestis e transexuais

- Assessoria de Imprensa

Homenagem de iniciativa da parlamentar destaca o desempenho dos trabalhos de atendimento humanizado na rede pública de saúde

Nesta segunda-feira (21/11), a vereadora Estela Almagro (PT) homenageou o Ambulatório de Assistência à Saúde de Pacientes Travestis e Transexuais do município de Bauru pelo desempenho dos trabalhos de atendimento humanizado na rede pública de saúde.

A parlamentar deu entrada na Moção n.º 89/2022 no dia 29 de agosto deste ano e o documento foi aprovado, por unanimidade, pelo plenário da Casa de Leis, no dia 5 de setembro.

A entrega da homenagem foi conduzida pelo presidente da Câmara, vereador Markinho Souza (PSDB), e acompanhada pelos vereadores Miltinho Sardin (PTB), Coronel Meira (União Brasil), José Roberto Segalla (União Brasil), Julio Cesar (PP), Carlão do Gás (União Brasil), Pastor Edson Miguel (Republicanos), Marcelo Afonso (Patriota), Beto Móveis (Cidadania), Guilherme Berriel (MDB) e Renato Purini (MDB).

Também estiveram presentes no Plenário “Benedito Moreira Pinto”, a servidora Márcia Regina Martins Lopes; a coordenadora do Programa Municipal de IST/HIV/AIDS da Secretaria de Saúde, Josiane Fernandes Lozigia Carrapato; Ana Paula Balderrama de Carvalho Oliveira, enfermeira e chefe do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA); equipe e usuários do Ambulatório de Assistência à Saúde de Pacientes Travestis e Transexuais (Ambulatório TT) de Bauru.

A vereadora Estela Almagro (PT), no ato de entrega da Moção, revelou a importância do trabalho realizado não só para Bauru, mas como um exemplo para o país. “É muito importante que se tenham ações de Governo para garantir atendimento e dignidade. O trabalho de vocês é um trabalho protocolar, é um trabalho que a gente sabe que vocês fazem com o corpo, com a alma, com o coração, com compromisso com a causa. E isso é o que fez, e o que faz, o diferencial”, destacou, acrescentando a necessidade, ainda assim, de avanço.

Josiane Fernandes Lozigia Carrapato, coordenadora do Programa Municipal de IST/HIV/AIDS da Secretaria de Saúde, em relação à possibilidade de dar visibilidade à causa, considerou: “sim, é possível, tem que ser possível, porque todo mundo tem direitos”. A coordenadora ainda pontuou ser preciso desconstruir preconceitos e paradigmas. “Quanto é necessário, não só nessa moção, mas em todos os momentos, em todas as políticas públicas, o respeito”, destacou.

Ana Paula Balderrama de Carvalho Oliveira, enfermeira e chefe do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), agradeceu o reconhecimento e enfatizou: “vocês [pacientes] são o ambulatório TT, vocês é que merecem essa moção e esse prêmio porque são vocês que nos impulsionam diariamente”. Durante a sua fala, Ana Paula também solicitou aos vereadores que auxiliem no fortalecimento do serviço, garantindo os direitos e o atendimento de qualidade. “Sabemos das dificuldades do Poder Público, mas toda coletividade tem a sua especialidade, e todos têm direito a estar acessando os princípios do SUS”, destacou.

História

A liberdade e o respeito têm sido pauta de luta em meio à intolerância de grupos em uma sociedade que possui dificuldades em conviver com a diversidade de gênero.

É papel do Estado tutelar o direito de todos os indivíduos garantindo acesso às políticas públicas que assegurem a inclusão das minorias aos serviços de saúde, cuja finalidade ampara-se na prestação de atendimento aos seus usuários.

O ano de 2020 trouxe grande avanço ao conceito de atendimento humanizado na rede pública de saúde no município, visto que em novembro do referido ano inaugurava-se o Ambulatório de Assistência à Saúde de Pacientes Travestis e Transexuais, serviço de extensão do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) de Bauru.

Observando os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS), o CTA fez do acolhimento humanizado a porta de entrada para o cuidado com a saúde dos mais vulneráveis, refletindo em seus profissionais respeito e atenção diferenciada aos seus pacientes.

Diligentes aos cuidados de assistência aos usuários da rede de saúde, os servidores permanecem em constante aperfeiçoamento, qualificando-se através de estudos e pesquisas, feito que garante a melhoria do serviço conceituando o município como referência entre as demais cidades da região.

A inclusão social da população transexual e travesti é pauta prioritária no serviço do CTA - dinâmica de atendimento que projetou o serviço de saúde no cenário estadual através da premiação conferida no 35° Congresso de Secretários Municipais do Estado de São Paulo (Conasems-SP).

A premiação coroa o trabalho de pesquisa das servidoras Josiane Fernandes Carrapato, Ana Paula Balderrama de Oliveira e Márcia Regina Martins Lopes que trouxeram para o debate do congresso a possibilidade de tornar visível à sociedade as pacientes transexuais e travestis assistidas pelo ambulatório.

A mácula que envolveu a segregação do grupo é o exemplo do desrespeito ao ser humano que tornou-se invisível diante da sociedade, lançando-se à sorte dos mais diversos tipos de violências causadas pela intolerância à diversidade.

Aclamar os trabalhos prestados pelos servidores e servidoras é reconhecer a vocação do profissional de saúde em cuidar do próximo, por vezes deixando a sua própria família para dedicar-se a de outras pessoas.

Acreditar em um mundo mais inclusivo é uma realidade que se constrói cotidianamente e exige dos seus convivas a postura de reconhecer no próximo a dignidade conferida a qualquer cidadão detentor de direitos e deveres.