DAE apresenta atualização do cronograma físico-financeiro das obras da ETE

14/05/2019 - Há frentes de trabalho para cerca de 18 meses de obra caso ajustes em projetos e na execução resultem na otimização dos serviços

O engenheiro Elinton Silva e a procuradora Adriane Brunhari

  A Comissão de Justiça, Legislação e Redação da Câmara Municipal de Bauru recebeu, nesta terça-feira (14/05), técnicos do DAE que apresentaram o panorama atualizado de execução da última versão do cronograma físico-financeiro das obras da Estação de Tratamento de Esgoto – ETE Vargem Limpa.

  Estiveram na reunião do colegiado o engenheiro responsável pela fiscalização dos serviços, Elinton Silva, e a procuradora jurídica Adriane Brunhari.

  Até agora, foram pagos R$ 61 milhões à empresa COM Engenharia, executora da obra – R$ 51 milhões são oriundos de repasses federais a fundo perdido via PAC Saneamento e R$ 10 milhões, do Fundo de Tratamento de Esgoto (FTE).

  As últimas medições de serviço aprovadas são do mês de fevereiro. De acordo com a versão mais recente do cronograma físico-financeiro apresentado ao Ministério Público Federal (MPF), órgão que acompanha o andamento dos trabalhos, 55,49% do contrato já deveria ter sido executado (considerando diversos aditamentos de prazo já firmados).

  O índice atingido, segundo os representantes do DAE, foi de 55,33%, graças à aquisição de equipamentos, já que as obras civis estão em ritmo lento por carecerem de complementações de projetos.

  Atualmente, 20 pessoas contratadas pela COM Engenharia trabalham no canteiro da ETE. Esse número já chegou a 200 em outros momentos.

  Elinton e Adriane pontuaram que, apesar da necessidade de resolução de impasses em projetos, há frentes de trabalho liberadas para que a construtora dê continuidade em suas atividades de maneira mais intensa.

  Sobre os projetos, os dois endossaram que, após a intervenção do MPF, a empresa Arcadis Logos tem demonstrado empenho em colaborar com as complementações necessárias.

  A multinacional incorporou a empresa Etep, contratada pelo DAE no início da década para desenvolver o projeto executivo da ETE.

  Após reuniões de trabalho com a Arcadis e a COM Engenharia, o cronograma físico-financeiro da obra deverá ser novamente revisto.

  A expectativa do DAE, no entanto, é de que, se tudo sair como o planejado daqui para frente, a ETE fique pronta em 18 meses.

  Iniciada em abril de 2015, a construção, originalmente, deveria ser concluída em outubro de 2016.

  Ao valor original do contrato, de R$ 129,2 milhões, já foi autorizado o acréscimo de R$ 15,6 milhões por meio de sete aditivos que incluíram novos serviços, em razão de omissões e falhas no projeto executivo da obra – apontados como principal impasse para o bom andamento dos trabalhos.

Informações foram explanadas em reunião da Comissão de Justiça

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA

Câmara Municipal de Bauru