Comissão de Obras na ETE: pendência com energia elétrica preocupa

10/04/2018 - Vistoria confirma atrasos e parlamentares conhecem ajustes no cronograma físico-financeiro dos trabalhos; nova reunião será realizada na próxima semana

Mané Losila, Carlinhos do PS e engenheiro Elinton / Foto: Ademir Elias-DAE

  Os vereadores Mané Losila (PDT) e Luiz Carlos Bastazini - Carlinhos do PS (PV), presidente e membro da Comissão de Obras e Serviços Públicos da Câmara Municipal de Bauru, visitaram, nesta terça-feira (10/04), o canteiro da construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), onde constataram novo atraso no cronograma físico-financeiro dos trabalhos, como reportado pelo Ministério Público Federal à Presidência do Legislativo. Ainda por lá, os parlamentares foram informados sobre novo problema que precisa ser sanado para que o esgoto da cidade possa ser tratado.

  A administração municipal depende da instalação de ponto de fornecimento de energia com a tensão adequada para o funcionamento da estação.

  “Infelizmente, a administração não recebeu sinal positivo da CPFL Energia nesse sentido e vão negociar com a empresa Mondelez a subestação de energia, que não vai ser utilizada diante da paralisação da planta da fábrica em Bauru”, pontua o vereador Mané Losila.

  Na tentativa de colaborar com a solução do impasse, o presidente da comissão convidará as partes envolvidas na obra – Prefeitura, DAE, Emdurb, CPFL e Caixa Econômica Federal - para uma reunião na próxima terça-feira (17/04), na Câmara Municipal.

  Losila observa que, sem resolver a questão da energia, o governo não conseguirá cumprir o compromisso de dar início ao tratamento preliminar do esgoto no mês de julho.

Ajustes

  Durante a vistoria no canteiro, os vereadores foram recebidos pelo secretário de Obras, Ricardo Olivatto; pelo engenheiro do DAE Elinton Eduardo Lopes da Silva; pelo engenheiro da empresa COM – responsável pela obra -, Guiragos Neto; e pelo presidente da Emdurb, Elizeu Eclair, que integra o Grupo Gestor da ETE.

  A Losila e Bastazini, foi explanado que o ritmo dos trabalhos não correspondeu ao esperado no mês de fevereiro, mas que, em março, já houve uma recuperação.

  Diante disso, as equipes envolvidas já ajustaram o cronograma pactuado em Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), em janeiro deste ano, e apresentarão as mudanças ao Ministério Público Federal (MPF) na próxima semana.

  “Até o final do primeiro semestre, o andamento ficará bastante aquém do esperado, mas a instalação de equipamentos, que consomem grande parte do curso da estação, vai se concentrar no segundo semestre. Dessa forma, o DAE e a Prefeitura esperam que, como compromissado com a Procuradoria da República, já será possível tratar o esgoto a partir de dezembro”, explica Mané Losila.

Audiência Pública

  Em Audiência Pública promovida no mês de fevereiro pelo presidente da Comissão de Obras, o presidente do DAE, Eric Fabris, reiterou o compromisso de que a estação funcionaria plenamente até dezembro de 2018, como pactuado no TAC, mas admitiu pendências de obras que devem ser sanadas somente no primeiro trimestre de 2019.

  A vistoria da Comissão de Obras no canteiro foi motivada pelo encaminhamento do presidente Sandro Bussola (PDT) de ofício recebido pelo MPF, que, no dia 19 de março, foi informado pela Caixa Econômica Federal (CEF) de que a última medição havia aferido 32% dos serviços executados na ETE, sendo que o acumulado previsto para a referida etapa deveria ser de 39,4%.

Elizeu Eclair, Elinton Silva, Guiragos Neto e Ricardo Olivatto / Foto: Ademir Elias - DAE

 

VINICIUS LOUSADA

Assessoria de Imprensa