Com leilão do Panela de Pressão suspenso, nova proposta para futuro do complexo do Noroeste é apontada em reunião da Comissão de Esporte

- Assessoria de Imprensa

24/05/2019 - Negociação envolvendo a passagem do patrimônio para o município em troca da assunção das dívidas do clube será levada ao prefeito Clodoaldo Gazzetta na segunda-feira (27)

*Editado às 12h12 de 27/05/2019

 Horas após a decisão da Justiça do Trabalho que suspendeu o leilão do ginásio Panela de Pressão, a Comissão de Esporte da Câmara Municipal de Bauru reuniu, nesta sexta-feira (24/05), representantes do poder público e o presidente do Esporte Clube Noroeste, Estevan Pegoraro, que participou por videoconferência da discussão que apontou encaminhamentos em busca de soluções definitivas que garantam a preservação do patrimônio esportivo da cidade.

 A reunião foi conduzida pelo presidente do colegiado, o vereador Fábio Manfrinato (PP), e pelos membros Roger Barude (PPS) e Yasmim Nascimento (PSC). Sandro Bussola (PDT) e Luiz Carlos Barbosa (PRB) também contribuíram.

 Pelo governo municipal, estiveram os secretários Antonio Carlos Garms, de Negócios Jurídicos, e Everson Demarchi, de Finanças, além do diretor Saint Clair Thanis Garrido, representando a SEMEL - Secretaria Municipal de Esportes e Lazer.

 Também participaram, em nome do Vôlei Bauru, o presidente Reinaldo Mandaliti e o vice Adriana Pucinelli.

O complexo pelas dívidas

 Após as exposições de todas as partes em relação ao imbróglio, Estevan Pegoraro afirmou que aceitaria passar à Prefeitura todo o patrimônio do complexo esportivo do Noroeste, que inclui o estádio Alfredo de Castilho e o Panela, em troca da assunção das dívidas do clube - divididos em tributos municipais e federais, além de débitos de natureza trabalhista.

 Foi colocado que o montante das dívidas gira em torno de R$ 10 milhões, enquanto o complexo é avaliado em cerca de R$ 60 milhões.

 A viabilidade da proposta será discutida em nova reunião entre as partes e o prefeito Clodoaldo Gazzetta nesta quinta-feira (30/05), às 17h, no Palácio das Cerejeiras.

 Até lá, o Noroeste deve levantar o valor real de cada tipo de débito e os setores jurídico e financeiro do município, a viabilidade da negociação.

 Quanto aos débitos com a União, o assessor do deputado federal Rodrigo Agostinho (PSB), Paulo Ferrari, que também participou da reunião também se comprometeu a verificar o que pode ser feito.

 “Era o objetivo da nossa comissão: aproximar o diálogo entre a Prefeitura e o Noroeste. Para que a gente atinja um consenso, é preciso levantar de fato os valores das dívidas, especialmente as trabalhistas, que são sagradas”, pontuou Fábio Manfrinato.

 Roger Barude avaliou a reunião como produtiva e aposta no fim de batalhas judiciais a partir de um acordo definitivo que beneficiará o esporte de Bauru.

 Ambos falaram ainda sobre o alívio decorrente da suspensão do leilão do ginásio.

Na Justiça

 O leilão do Panela de Pressão foi motivado por dívidas trabalhistas do clube. O cancelamento nesta sexta-feira se deu pela tutela antecipada parcialmente concedida pela Vara da Fazenda Pública à Prefeitura em ação judicial, reivindicando que o ginásio e o estádio Alfredo de Castilho sejam incorporados como propriedade do município.

O argumento é que o clube utilizou área doada pela Fazenda Municipal como permuta junto à Rede Ferroviária Federal para adquirir o imóvel onde está situado seu complexo esportivo. A Lei que autorizou a permuta aponta que a área é impenhorável e inalienável.

 O secretário de Negócios Jurídicos garantiu que a intenção do governo é justamente garantir a preservação do patrimônio esportivo para que o Noroeste, o Vôlei e o Basquete Bauru, além dos projetos da Semel, possam continuar usufruindo dos espaços.

 Garms afirmou ainda que já foi iniciado junto ao CODEPAC (Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Bauru) o processo que busca o tombamento do complexo.

Vôlei e Basquete

 Mandaliti pontuou que as temporadas de competições das equipes começam em um mês e, como a Prefeitura deixou de locar o Panela de Pressão, não há garantias de que os times de vôlei e basquete poderão usar o ginásio para jogar por Bauru - já que não dispõem em seus orçamentos reservas financeiras para alugar o espaço junto ao Noroeste.

Estevan Pegoraro, presidente do Noroeste, participou da reunião por videoconferência

Vereadores Yasmim, Roger, Sandro, Manfrinato e Luiz Barbosa estiveram na reunião

 

VINICIUS LOUSADA

Assessoria de Imprensa