CEI não encontra representantes aptos para falar pela empresa projetista

- Câmara Municipal de Bauru

No canteiro de obras da ETE, havia apenas um engenheiro, que não dispunha de autorização para prestar esclarecimentos em nome da Arcadis Logos; membros ainda tentarão diálogo na semana que vem, em atividade na sede do DAE; vice-prefeita entre 2009 e 2016, Estela Almagro respondeu questionamentos dos vereadores sobre a obtenção dos recursos federais a fundo perdido

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) que apura problemas na concepção e na construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE Vargem Limpa) esteve no canteiro da obra na manhã desta terça-feira (30/06). Recebida pelo presidente do DAE, Eliseu Areco, tinha a intenção de ouvir e buscar esclarecimentos junto à empresa Arcadis Logos, responsável pelo projeto executivo do empreendimento e que, recentemente, instalou escritório no local.

Os vereadores, entretanto, conseguiram conversar por alguns minutos com um engenheiro, que disse não dispor de autorização para falar em nome da multinacional.

O profissional sinalizou apenas que seu trabalho no canteiro é promover a interface entre o projeto executivo e a obra da ETE.

Essa foi a quinta tentativa da comissão em obter informação junto a Arcadis, que já fora convidada quatro vezes a falar aos parlamentares.

O Poder Legislativo, contudo, não dispõe da prerrogativa de convocar a empresa.

Presidente da CEI, o vereador Mané Losila (MDB) espera ainda encontrar com representantes que tenham legitimidade para falar em nome da projetista na próxima terça-feira (07/07), para quando está agendada atividade do colegiado de apuração na sede do DAE.

Na ocasião, os parlamentares pretendem verificar o espaço onde estão sendo armazenados documentos que servirão de prova para que, futuramente, o município acione judicialmente a Arcadis Logos, em busca de reparação pelos prejuízos cuja causa for atribuída a problemas no projeto executivo.

A existência do local foi citada pela procuradora jurídica Adriane Brunhari em oitiva da CEI.

Ainda no canteiro de obras, a comissão verificou a continuidade do bom ritmo de serviços, já constatado em vistoria no início de junho.

Vice-prefeita

No início da tarde de hoje, Estela Almagro, vice-prefeita de Bauru entre 2009 e 2016, falou sobre sua participação nas tratativas políticas que teriam contribuído para a liberação dos R$ 118 milhões da União para a construção da ETE.

Aos parlamentares, disse nunca ter sido chamada a participar de discussões de natureza técnica relacionadas ao projeto ou a sua execução.

Almagro observou, contudo, que o anúncio da conquista dos recursos federais se deu no primeiro ano do segundo governo do então prefeito Rodrigo Agostinho, que teria capitaneado a condução administrativa-executiva da obra e que, à época, tinha a intenção de concluí-la antes de sua saída do Palácio das Cerejeiras.

À CEI, a ex-vice-prefeita negou ter tido conhecimento sobre eventuais pressões por parte do governo federal sob risco de perda do dinheiro a fundo perdido.

Próximas oitivas

Na quarta-feira da semana que vem (08/07), às 14h, a comissão promove nova rodada de oitivas.

Será convocada a Chefe de Gabinete do Poder Executivo, Majô Jandreice. O servidor aposentado Luiz Pires e o ex-coordenador de Comunicação da Prefeitura Pallu Roberto serão convidados. Ambos integravam a chamada Equipe de Governo do prefeito Clodoaldo Gazzetta.

O ex-prefeito e agora deputado federal Rodrigo Agostinho também será convidado.

CEI

A comissão é presidida pelo vereador Mané Losila (MDB) e tem Edvaldo Minhano (Cidadania) como relator. Também são membros Coronel Meira (PSL), Chiara Ranieri (DEM) e Yasmim Nascimento (PSDB).