Câmara homenageia Américo Beghini com a 'Medalha Sebastião Paiva'

14/07/2017 - Saudado por familiares e amigos, aos 100 anos, ele recebe a honraria por iniciativa do vereador Roger Barude

Maria Aparecida, esposa do homenageado, Américo e Barude

Marcada por muita emoção, Sessão Solene, realizada na noite desta sexta-feira (14/07), no Plenário da Câmara Municipal de Bauru, procedeu a entrega da “Medalha Sebastião Paiva” ao senhor Américo Beghini.

A Honraria foi concedida com o aval de todos os vereadores da Casa de Leis, por iniciativa do parlamentar Roger Barude (PPS), que não conteve as lágrimas ao subir à Tribuna Legislativa para homenagear o primeiro centenário a receber a medalha, dedicada a pessoas com 80 anos ou mais, residentes na cidade.

“Quis Deus que eu tivesse a oportunidade de estar aqui, na Câmara Municipal, coincidindo com os 100 desse homem, com quem tive a oportunidade de ser criado”, disse Roger.

Américo Beghini também foi saudado por familiares e amigos, que lotaram o plenário e as galerias da Câmara e gravaram depoimentos em vídeo, destacando suas virtudes. Assista aqui

Claudete Beghini, sua filha, destacou que o pai chegou aos 100 anos com serenidade, sabedoria e saúde. “É uma pessoa sorridente, com sua cervejinha na mão e baralhinho na mesa. Cativante, que age com honestidade e amor”.

Apesar de algumas dificuldades motoras, já ao final da Sessão Solene, Américo fez questão de se levantar e agradecer a todos pela homenagem.

A Sessão Solene foi presidida pelo vereador Pastor Luiz (PRB) e contou ainda com a presença de Telma Gobbi (SD) e Chiara Ranieri (DEM). O ex-vereador Raul Gonçalves Paula, autor da Resolução que criou a "Medalha Sebastião Paiva", também compareceu e compôs a Mesa.

Vida

Beghini nasceu em Barra Bonita/SP, no dia 21 de setembro de 1916. Descendente de italianos, filho de David Arthuro Beghini e Rosa Pignoli Beghini, começou a trabalhar já aos 7 anos, junto a seu pai, como carregador de telhas.

Mudou-se com a família para Bauru em 1929, quando precisou interromper os estudos para colaborar com o sustento da casa.

O homenageado se casou com Maria Aparecida Gilioti em 1950, com quem teve quatro filhos. Muito dedicado à família, desempenhou diversas funções profissionais ao longo da vida: balconista, operário de fábrica de sabão, operário de fábrica de garrafas, e por último, como operário da Granolplast, onde era chamado de “tio” pelos colegas de trabalho. Aposentou-se após 46 anos de trabalho.

Palmeirense nato, chegou a atuar como técnico de futebol de salão do time da empresa. Sua carreira no esporte, contudo, teve início em 1942, quando, como jogador, defendeu o Esporte Club Paulista. Atuou ainda no Canto do Rio Futebol Club e em outros times de várzea da época.

Católico, sempre frequentou as missas da Igreja Santo Antônio. Calmo e atencioso, cultivou inúmeras amizades ao longo da vida, destacando-se por sua integridade, educação e responsabilidade. 

 

Raul Gonçalves, Telma Gobbi, Maria Aparecida, Américo Beghini, Roger Barude, Chiara Ranieri e Pastor Luiz

A assessora parlamentar Selma Gomes homenageia a esposa de Américo, Maria Aparecida

 

VINICIUS LOUSADA

Assessoria de Imprensa