Aumento de despesas e avanço da sífilis são discutidos em Audiência da Saúde

- Vinicius Lousada

Pasta tem como obrigação prestar contas dos exercícios quadrimestrais; dados foram apresentados pelo secretário Sérgio Henrique Antônio

Em Audiência Pública realizada na Câmara Municipal de Bauru nesta sexta-feira (21/02), a Secretaria Municipal de Saúde revelou que as despesas da pasta em 2019 chegaram a R$ 249,3 milhões – 11,6% a mais do que os R$ 223,3 milhões gastos no ano anterior. A íntegra do material está disponível aqui

Entre um exercício e outro, também foi maior a participação da Saúde na destinação de recursos próprios da Prefeitura, sem considerar verbas transferidas pela União e pelo governo do Estado de São Paulo. O salto foi de 24,99% em 2018 para 26,18%.

Questões relativas à assistência e a dados epidemiológicos também foram abordadas na audiência de Prestação de Contas do terceiro quadrimestre.

As consequências decorrentes da maior epidemia de dengue e a retomada do avanço da sífilis adquirida em adultos estão entre elas. Depois de recuo registrado em 2017, com 193 novos casos, o número subiu para 323 em 2018 e 388 em 2019.

O efetivo de profissionais do Mais Médicos em Bauru, que já chegou a 26 no ápice do programa, cairá ainda mais a partir de março, chegando a 10. A redução, abordada pelo secretário de Saúde, Sérgio Henrique Antônio, em entrevista concedida à TV e à Rádio Câmara, afeta a assistência na Saúde Básica.

Participaram da audiência o presidente da Câmara, José Roberto Segalla (DEM), e os vereadores Edvaldo Minhano (Cidadania), que fez questionamentos sobre as perspectivas para a dengue em 2020, Luiz Carlos Bastazini (PV) e Natalino da Pousada (PV), que reiterou problemas sobre o déficit dos leitos hospitalares geridos pelo Estado.