Audiência Pública: Plano de Mobilidade prevê 80 quilômetros prioritários de ciclovias e ciclofaixas

19/02/2019 – Expectativa é de que 18 quilômetros de vias voltadas à bicicleta sejam entregues até dezembro de 2020; vereadores apresentaram contribuições

Secretária de Planejamento, Letícia Kirchner apresentou o Plano

  Por iniciativa do vereador Mané Losila (PDT), presidente da Comissão de Serviços Públicos e Transportes, a Câmara Municipal de Bauru promoveu, nesta terça-feira (19/02), Audiência Pública para a apresentação do Plano de Mobilidade Urbana do Município. Em fase de revisão, o texto deve ser enviado à Casa para que se torne Lei. Assista à íntegra da reunião

  No encontro, a secretária de Planejamento, Letícia Kirchner, explicou que a proposta privilegia o conceito de “mobilidade ativa”, no qual pedestres e veículos não motorizados, especialmente bicicletas, são priorizados.

  Por essa razão, o plano prevê que a cidade ganhe 300 quilômetros de ciclovias, ciclofaixas e ciclorotas, dos quais 80 são considerados prioritários e 18 devem sair do papel em curto prazo – mais especificamente, até o fim da atual gestão, em dezembro de 2020.

  “É importante oferecer a condição para que as pessoas usem a bicicleta e prefiram usar o transporte coletivo ao individual, como já acontece na cidade de São Paulo”, pontuou Losila.

Vereadores Mané Losila e Chiara Ranieri

Integração

  Presente na audiência, o vereador Coronel Meira (PSB) sugeriu que o município aposte no modelo de ciclofaixa – menos custoso por se restringir à pintura do solo – a fim de que o projeto se expanda a um maior número de importantes avenidas da cidade.

  Kirchner reiterou a importância de, o quanto antes, levar a infraestrutura cicloviária a mais pontos da cidade, mas ponderou que a prioridade é garantir a integração entre as vias onde ela já existe.

  A secretária pontuou ainda que as ciclovias são consideradas mais seguras.

  Coronel Meira sugeriu também que a Prefeitura exija, doe novos empreendimentos da cidade, o direcionamento de investimentos a estruturas viárias voltadas para os ciclistas, a título das contrapartidas que visam mitigar seus impactos no meio urbano.

Modais interligados

  Já o vereador Fábio Manfrinato (PP) destacou a importância de que os ônibus circulares sejam dotados de estruturas que suportem o transporte de bicicletas, como já ocorre em outras cidades brasileiras.

  Letícia Kirchner pontuou que a proposta já é considerada e converge com o conceito de interligação dos modais de transporte.

Aos microfone, os vereadores Coronel Meira e Fábio Manfrinato

Segurança

  A vereadora Chiara Ranieri (DEM) ressaltou a importância de se discutir a mobilidade para além dos meios e infraestrutura para locomoção, citando, como exemplo, a necessidade de investimentos na iluminação pública, a fim de proporcionar mais segurança a usuários do transporte coletivo, ciclistas e pedestres.

  Maria Helena Catini (PDT) e representantes do Conselho Municipal de Mobilidade e da OAB-Bauru também participaram da audiência.

Sobre o Plano

  O Plano Diretor de Mobilidade foi resultado de sete anos de trabalho, com 44 reuniões, incluindo audiências públicas, ciclos de debates com a população, reuniões setoriais com segmentos das sociedade civil, reuniões temáticas com especialistas e duas conferências municipais.

  As cidades do porte de Bauru devem apresentar seus planos até abril deste ano, sob pena de ficarem impedidas de receber recursos da União para investimentos no setor, o que inclui obras de pavimentação, recapeamento e remodelação do sistema de transporte urbano.

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA

Câmara Municipal de Bauru