Após intervenção da Comissão de Saúde, secretário anuncia apuração e providências relacionadas ao Samu e Pronto-Socorro

11/05/2017 - Luiz Carlos Bastazini e Telma Gobbi conduziram reunião na manhã de hoje, motivada por denúncias recebidas pelo vereador Segalla

Telma, Fogolin, Bastazini e Alexandre

Vereadores da Comissão de Saúde ouviram, nesta quinta-feira (11/05), o secretário municipal de Saúde, José Eduardo Fogolin a respeito de denúncias sobre suposta omissão de socorro pelo Samu e problemas em atendimentos no Pronto-Socorro Central. Leia mais aqui.

Também participou da reunião o munícipe Alexandre Campanha Lima, que, na última terça-feira (09/05), já havia detalhado à comissão os relatos que chegaram ao Poder Legislativo por meio de documento recebido pelo parlamentar José Roberto Segalla (DEM).

No encontro de hoje, Fogolin afirmou aos vereadores que a gravação do chamado de socorro ao Samu, registrado no dia 11 de abril, já foi recuperada e será objeto de apuração pela coordenação do serviço.

Em relação ao Pronto-Socorro, o secretário admitiu a existência de problemas e garantiu que a administração reforçará, junto aos servidores, ações voltadas à humanização dos atendimentos.

Fogolin observou, contudo, que a unidade funciona com déficit de 40% de pessoal, o que também reflete na assistência, especialmente aos munícipes que esperam, nos corredores do prédio, a liberação de leitos hospitalares.

O secretário falou sobre a contratação de 30 novos profissionais para a rede e do deslocamento de mais médicos para o Pronto-Socorro, assim que a escala desses profissionais for assumida pela Fundação Regional de Saúde na UPA Geisel/Redentor.

Problemas estruturais também foram elencados por Fogolin. Ele assegurou que, independentemente do projeto de construção de um novo Centro de Referência em Urgência para o município, a administração já toma providências para requalificar os atendimentos oferecidos no Pronto-Socorro Central.

O secretário falou ainda sobre relatórios do Conselho Regional de Medicina e da Vigilância Sanitária, que apontam problemas na unidade que potencializam as deficiências na assistência pontuadas na denúncia que motivou a reunião.

Roupa de cama

José Eduardo Fogolin garantiu que, diferentemente do que foi apontado nos relatos que chegaram à Comissão de Saúde, não faltam fraldas no Pronto-Socorro. “Se não foram disponibilizadas, vamos investigar o porquê”.

Sobre a falta de roupas de cama, o secretário alegou que, apesar da aquisição de novas peças, houve problemas nos serviços pela lavandeira contratada pela Saúde. Segundo ele, a empresa foi notificada para saná-los.

Acompanhamento

Presidente da Comissão de Saúde, a vereadora Telma Gobbi (SD) explicou que cobrará da pasta a formalização, por escrito, das providências que estão sendo ou serão tomadas depois dessas reuniões para que a Câmara possa acompanhar e cobrar a execução dessas medidas.

Também foram requisitadas ao secretário cópias dos relatórios da Vigilância e do Conselho de Medicina a respeito do Pronto-Socorro.

 

VINICIUS LOUSADA

Assessoria de Imprensa