Aos 100 anos e com surpresa, dona Amélia recebe a Medalha 'Sebastião Paiva'

- Vinicius Lousada

Homenageada pelo vereador Cabelo, sua trajetória é marcada pelo trabalho e pela luta pelo sustento dos filhos e dos irmãos

Aos 100 anos de idade, a senhora Amélia Biscalchin Munhoz teve uma grande surpresa na tarde desta quarta-feira (05/12): recebeu, na Câmara Municipal, a Medalha “Sebastião Paiva” – conferida a pessoas com 90 anos ou mais, que residam em Bauru há pelo menos três décadas.

A iniciativa da homenagem partiu do vereador Ricardo Cabelo (Cidadania) e a solenidade no Plenário foi prestigiada por familiares, amigos de sua família e pelos parlamentares Luiz Carlos Bastazini (PV) e Miltinho Sardin (PTB).

Dona Amélia veio à sede do Legislativo, achando que assistiria à apresentação de um dos netos, sem esperar que seria ela mesma o centro das atenções.

Filha de Angelo Biscalchin e de Assumpta Parmagnani, que vieram da Itália para trabalharem no Brasil, ela nasceu em 18 de abril de 1919.

Aos 100 anos de idade, mantém a lucidez e o bom humor. É natural de Jaú, mas, ainda criança, veio com os pais para viver em Bauru.

Quando solteira, morou no Bairro Bela Vista. Amélia tinha cinco irmãos: João, José, Antônio, Ermelinda e Diolinda. Desde muito nova, ajudava a cuidar deles e dos afazeres domésticos.

Casou-se no ano de 1939, com Miguel Munhoz, com quem teve seus dois filhos: Gilberto Antônio Munhoz e Anuarides Munhoz. Ficou viúva em 1970.

Trabalhava como lavadeira e passadeira para ajudar seu esposo nas despesas do lar. Os filhos também colaboravam, entregando as roupas limpas e passadas para as clientes.

Até hoje, vive na mesma casa, na Vila Altinópolis. Mora sozinha há 47 anos e tem cinco netos e 10 bisnetos.

Até pouco tempo atrás, fazia tarefas como consertar o próprio telhado da casa, ajudar a antena da TV e ir ao supermercado. Seus dois filhos, além de seus irmãos e uma bisneta já faleceram.

“Por ser essa mulher trabalhadora, que lutou pela sobrevivência de seus irmãos e filhos, generosa, desde nova trabalhando para ajudar no sustento da casa propusemos essa homenagem à dona Amélia”, celebrou o vereador Ricardo Cabelo.